Endereço: Av. Carapinima, 2425 - Benfica |Cep: 60015-290 - Fortaleza - CE |Tel: (85) 3283.5454 / 88973480
Email: iabce@iabce.org.br| Site oficial do IAB-CE | Página Facebook | Perfil Facebook | Twitter

terça-feira, 18 de abril de 2017

IAB-CE, 60 anos de história






Há sessenta anos, ao entardecer  do dia 18 de abril de 1957, " na sala de frente dos altos do edifício comercial situado na rua Barão do Rio Branco, 1179", como nos lembra, zelosamente, um de seus sócios fundadores, arquiteto José Liberal de Castro, foi instalada a Delegacia do Instituto de Arquitetos do Brasil no Ceará.  Nosso professor  nos informa, também, que, naquela ocasião,  apenas oito arquitetos exerciam a profissão em Fortaleza.
Hoje,  somos mais de dois mil arquitetos e nossa cidade há muito se distanciou da urbe que ainda não tinha atingido meio milhão de habitantes. Se profundas foram as mudanças, permaneceu, entretanto, inalterado, o ideário que tem pautado a ação do IAB-CE em suas seis décadas de existência, tendo conquistado o reconhecimento  da sociedade cearense. É, pois, com muita honra e conscientes da importância desse legado que recebemos e ora damos continuidade, que a diretoria de nosso instituto celebra essa  data e reafirma seu compromisso em defesa da arquitetura e do urbanismo a serviço de melhor qualidade de vida dos habitantes das cidades e como patrimônio cultural do Ceará.


Fortaleza, 18 de abril de 2017

Diretoria do Instituto de Arquitetos do Brasi- Departamento Ceará





Leia Mais ►

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Nota de Falecimento Sra. Maria Cristina Arrais, mãe do arquiteto Enéas de Araújo Arrais Neto

Aos Arquitetos e Urbanistas do Ceará,

É com imenso pesar que o Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Ceará comunica a todos(as)  o falecimento da senhora  MARIA CRISTINA ARRAIS, mãe do arquiteto e urbanista Enéas de Araújo Arrais Neto.  

O velório terá início amanhã, dia 18/04/2017, às 7h na Funerária Ternura, Rua Padre Valdevino, no. 2255, Aldeota, Fortaleza/CE, fone 85-3261.5848.

Será celebrada missa de corpo presente às 10h (Funerária Ternura) e o sepultamento ocorrerá às 11h30min no Cemitério Parque da Paz,

Aos que comparecerem a Família, em LUTO, agradece.

Nossos  sentimentos de solidariedade à família.

Instituto dos Arquitetos e Urbanistas do Brasil - Departamento do Ceará
Leia Mais ►

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Fortaleza 291 anos: Por uma Cidadde para todos


Hoje, aniversário de Fortaleza, o IAB-CE lança a série de Artigos “Fortaleza 291 anos”, uma reunião de artigos refletindo sobre a Cidade por Arquitetos e Urbanistas. Durante todo este mês, eles serão publicados no site do IAB-CE.O primeiro texto da série, escrito pelo Arquiteto  e Urbanista  Beto Almeida reflete por que, Fortaleza não é uma cidade para todos.

O Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Ceará, reafirmando seu papel histórico em defesa da qualidade ambiental e urbanística das cidades do estado, e, de forma especial, de Fortaleza,  compreende ser necessário intensificar o debate acerca dos graves problemas  que afligem a população de uma das maiores metrópoles do Brasil. Assim,  na data em que é comemorada a fundação da capital cearense, há quase três séculos, o IAB-CE dá continuidade ao  debate sobre a questão urbana, missão que abraçou desde sua inauguração, precisamente numa quinta-feira, 18 de abril de 1957, há sessenta anos."A quinta maior cidade do país (...),vem, mais e mais, se constituindo em um funesto exemplo de negação da cidadania pela desconsideração ao atendimento dos direitos mais elementares do homem e da sua dignidade". As palavras são do arquiteto José Alberto de Almeida, sócio e ex- presidente do IAB-CE, além de ter integrado o Conselho Superior do Brasil. Beto atendeu ao convite da diretoria do nosso instituto para avivar o debate, que almejamos ampliar e aprofundar, permanentemente.


Você pode conferir  também ,o texto integral no site do IAB-CE aqui.

Fortaleza, por uma cidade de todos


Beto Almeida
Inverter as prioridades é assumir a ética da equidade, dando mais a quem tem menos, menos a quem tem mais, o mínimo a quem tem muito e nada para quem tem tudo. (Isso não é um provérbio chinês)

As cidades brasileiras, em especial as grandes metrópoles, são o retrato perfeito de uma sociedade que se construiu e se reproduz sobre a exploração da maioria da população. Ao longo do tempo as cidades foram se constituindo, não em um espaço de convivência, mas, no locus da segregação, da exclusão e onde a marginalidade ganha espaços, a violência confronta o Estado, e Fortaleza, a nossa cidade, não escapa a essa constatação.
Mais uma vez, como sempre acontece quando as chuvas caem com mais intensidade, expõem-se as suas entranhas a demonstrar, de forma clara, a face cruel da desigualdade social e aquilo que, elegantemente, o “Plano 2040” registra como  “construída sem um planejamento constante de seu crescimento, sem antecipações com respeito à hierarquização de sua malha viária, sem considerações sobre os usos do solo e suas movimentações decorrentes” por parte de sucessivas gestões municipais agravando o “apartheid” social nela estabelecido, diagnosticando que “a cidade e sua forma apresentam urgente necessidade de priorizar os aspectos de conectividade e mobilidade urbana para a promoção de acessos”
A quinta maior cidade do país entre as dez capitais brasileiras mais populosas, tendo quadruplicado a sua população nas últimas décadas,vem, mais e mais, se constituindo em um funesto exemplo de negação da cidadania pela desconsideração ao atendimento dos direitos mais elementares do homem e da sua dignidade.
Ao longo do tempo a organização sócio espacial da cidade de Fortaleza traduziu-se em um modelo de crescimento que concentra a população de mais alta renda, serviços e equipamentos sociais de maior importância em determinados bairros e espalha o restante da população sem considerar, minimamente, questões como o meio ambiente, existência de equipamentos e intra-estrutura de serviços.
Registramos na cidade, áreas que detém menos de 15% da população e mais de 40% da renda e áreas que, apesar de contarem com mais de 21% da população, detém pouco mais de 10% da renda. Enquanto isso, recursos são destinados a viadutos e obras viárias, ainda que se registrem alguns avanços na melhoria da circulação do transporte público, ao passo que canais de drenagem ainda permanecem obstruídos com suas águas poluídas invadindo residências e atingindo frontalmente as populações mais pobres.
Resta-nos constatar, pela mais absoluta obviedade, que vivemos em uma Fortaleza dividida. De um lado temos uma cidade rica, equipada e relativamente pouco atingida pelos fenômenos climáticos cíclicos, e de outro uma cidade pobre, desequipada onde mora a maioria da população, conformando uma urbanização desigual a exibir as chagas da pobreza e da exclusão.
Apesar da existência de instrumentos  já reconhecidos (O Estatuto da Cidade - Lei 10.257, de 10 de julho de 2001, aprovado após 13 anos de tramitação, está prestes a completar 16 anos de sua aprovação), as dificuldades de implementação dos mesmos interpostas pelo poder econômico e suas relações com o poder político,  resulta na manutenção/ampliação de vazios urbanos a agregar valor aos seus detentores, enquanto a grande massa de excluídos permanece “empilhada” em áreas de risco a mercê das inundações e dos desmoronamentos, ou fazem das ruas, praças e calçadas os locais de sua sobrevivência.
Que cidade queremos construir? Que ambiente urbano queremos legar aos nossos descendentes? Que civilização? Uma cidade constituída de algumas “ilhas de prosperidade” dotadas de bons serviços, cercadas por “oceanos” de indigentes que habitam o lixo por ser esta a única opção que lhes foi permitida? Ou o nosso destino será a convivência com condomínios fechados e centros de compra nos quais a tranquilidade está garantida por esquemas de segurança privada.
Enquanto parte da sociedade se fecha em determinados territórios, ao grupo majoritário só resta o espaço público, para muitos símbolo de insegurança e violência, para outros  local de trabalho ou mesmo de moradia, aí como refúgio de sobrevivência. Perde-se gradativamente o uso multifuncional dos espaços urbanos restando como uso de todos o espaço da circulação onde se corre e se pede perdão pela pressa (Sinal fechedo, Paulinho da Viola). Insistir nesse caminho e nesse modelo é contribuir para o aumento da marginalidade  social no rumo da violência urbana, um caminho sem volta.
Como sujeitos políticos e sociais temos a obrigação de dizer não a este modelo e construir um outro modelo de cidade que seja capaz de suprimir as causas deste que, ao não considerar a dignidade da maioria da população, nega-lhe a cidadania como valor fundamental da democracia.
O Plano Fortaleza 2040 apresenta-se arrimado em premissas válidas, diagnósticos corretos e propostas inovadoras, mas o que nos preocupa é que a nossa história registra diversos momentos em que planos foram produzidos, inclusive coletivamente, com muitas intenções e… pouquíssimos gestos. Enfim, o que a nossa história demonstra é exatamente aquilo que o Plano cuidou de registrar:
Garantir que o Plano Fortaleza 2040 fosse levado em consideração e executado pelas próximas seis gestões municipais foi uma das maiores preocupações manifestadas pelos milhares de participantes presentes no processo de formulação. O que é muito natural dado que dezenas de planos foram elaboradas para Fortaleza e muito pouco de uns poucos foi executado. Não há cultura de planejamento nem muito menos de continuidade entre uma gestão e outra, em geral mais preocupadas em desenvolver seu marketing político do que desenvolver a própria cidade.
A decisão de dar a devida importância no Plano à questão da Governança revela uma preocupação  fundamental com a sua continuidade, uma vez que deixa claro que o eixo estratégico “Governança Municipal” é o que assegura a execução dos outros eixos estratégicos e os seus resultados na transformação da Cidade. O texto de Introdução a este Eixo registra um conjunto de preocupações por nós já referidas e cuja superação é fundamental:
Fortaleza vem apresentando contexto marcado por profunda vulnerabilidade social, com mais de 44% da população residindo em pouco mais de 12% do território na forma de assentamentos precários, com ampla desestruturação familiar e desintegração social, com diversos bairros sob controle de grupos de traficantes atuando como milícia, ao mesmo tempo em que promovem o amplo consumo de drogas, principalmente entre o público jovem, vítimas de índices absurdos de violência e marginalizados por uma sociedade com elevada concentração de renda, resultando na ampliação de ocorrências de crimes contra o patrimônio nos bairros mais ricos, gerando crescente sentimento de insegurança – contexto típico de sociedades muito desiguais.
O caminho para alcançar esse objetivo (continuidade) e superar obstáculos reconhecidamente difíceis, passa, necessariamente, pela articulação do conjunto das forças políticas e sociais tendo por objetivo a ampliação dos espaços de participação dos cidadãos e da sociedade civil na definição desse novo projeto. Será possível adquirir autonomia frente aos ciclos eleitorais?
A participação ativa da sociedade organizada é fundamental para ampliar a representação dessas forças na composição dos parlamentos e na eleição de gestores comprometidos com a luta desses segmentos, ainda que não se tenha segurança acerca da estrutura de articulação interna do Poder Municipal, suas instâncias e se os mecanismos de participação são relevantes para sua sustentação política e sua efetividade. Afinal,  governos de coalisão são… governos de coalisão.
O quadro atual de convergência entre as forças que compõem os Executivos municipal e estadual é um indicador propício a que avanços possam ser alcançados. Apesar das críticas que registramos em relação aos problemas que podem decorrer dos chamados governos de coalisão, entendemos que eventuais divergências circunstanciais ou mesmo conjunturais podem ser superadas, desde que se construa essa unidade com base na convergência daqueles que estejam identificados politicamente com os mesmos objetivos estratégicos referenciados pela ética na política, pelo aprofundamento da democracia, ampliação da cidadania e na capacidade técnica e administrativa, de modo a promover as transformações sociais, econômicas, ambientais, urbanísticas, culturais e políticas que Fortaleza, de há muito, está a carecer.
Sabemos que os limites existem e a arte da política é, basicamente, negociar, compor e recompor, consolidar avanços, desde que a ética seja a grande referência. Difícil fazer? Sim, porém absolutamente necessário.
A atual administração municipal, legitimada pelas urnas, ao elaborar o Plano Fortaleza 2040 assinala não poder se escusar dos desejos da sociedade na (re)construção de uma Fortaleza conectada, com equidade, acessível e justa, por meio da inclusão social, da redução das desigualdades, da ampliação da mobilidade urbana, da promoção da cidadania e do fortalecimento da democracia.
É fato que o país passa por um momento difícil e de alta complexidade. Partindo de uma proposta de construção de um Estado que, pela via democrática, valor universal inquestionável, ampliasse a participação popular na condução dos seus negócios, perdeu-se em concessões na manutenção de um governo de composição. Embora se possa ter uma compreensão dialética do processo que se desenvolve em um governo de composição, se  tem-se limites para consolidar os necessários avanços, deve-se ter limites para a aceitação de certas práticas. Há sempre que se cuidar para que governos de composição não venham a se transformar em governos em decomposição a partir da ação deletéria de seus próprios aliados.
Apesar de tudo é preciso reconhecer que a história universal é rica de exemplos em que forças políticas se aglutinaram em torno de objetivos estratégicos comuns. Não nos é difícil identificar, para o caso da nossa cidade, que essas possibilidades existem e os novos rumos que necessitam ser imprimidos à uma administração de caráter verdadeiramente transformador.
A cidade de Fortaleza, abrigo de tantos movimentos libertários e republicanos, não pode, em respeito à sua história, deixar de buscar a promoção dos necessários avanços com vistas à construção de  uma cidade de todos, ou seja, o objetivo deve ser a busca de uma modernização democrática, portanto includente, a se contrapor às práticas que trazem em seu cerne a segregação e a exclusão.
Não cremos que planos corretos e adequados tecnicamente possam, por si só,  superar  os conflitos aí postos quando questões centrais se fundam na correlação de forças presente em nossa sociedade. O que devemos é buscar uma condição onde grupos de indivíduos situados nos diferentes pontos da hierarquia social possam negociar seus interesses como iguais, permitindo a regulação dos conflitos e a ampliação da igualdade pela gestão das políticas públicas. Fazer esse contraponto. Questionar (ou romper?) paradigmas. Fazer do usuário da cidade o grande aliado na implementação dos programas. Os insucessos por conta da inexistência de uma cultura de planejamento e da descontinuidade não devem levar à resignação. Ao contrário. Sempre haverá um poeta a lembrar:
Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A mágica presença das estrelas!
                               (Mário Quintana)


Leia Mais ►

terça-feira, 4 de abril de 2017

IAB-CE promove Curso de Acústica Arquitetônica Básica em Abril. Inscrições até dia 10/04 têm desconto.



O IAB-CE promove curso de Acústica Básica, ministrado pelo Arquiteto e Urbanista Daniel Leite Sampaio. O curso acontecerá nos dias 27, 28 e 29 de abril, no auditório do IAB-CE.

Confira a programação do curso:
I – Som e ruído
1.1. Conceito
1.2. Ondas sonoras
1.3. Velocidade de propagação do som
1.4. Fenômenos do som
1.5. Comportamento do som no ambiente construído
1.6. Efeitos do ruído sobre o homem
1.7. Ruído aéreo e ruído de impacto
1.8. Verificação de níveis de ruídos
1.9. Atenuação do som devido a distancia
1.10. Decibel
1.11. Isolamento acústico
1.12. Absorção acústica

II – Tratamento Acústico
2.1. Condicionamento acústico
2.2. Tempo de reverberação
2.3. Tempo ótimo de reverberação
2.4. Geometria dos ambientes
III – Isolamento acústico
3.1. Materiais e sistemas isolantes acústicos
3.2. A lei da massa
3.3. Isolamento acústico x comprimento de onda
3.4. O efeito Massa / Mola / Massa
3.5. Esquadrias acústicas
3.6. Barreiras acústicas
3.7. Atenuadores de ruídos
3.8. Cálculo de isolamento acústico.
IV – Verificação de níveis de pressão sonora.
4.1. Equipamentos de medição sonora.
4.2. Curvas de compensação A e C.
4.3. Respostas lentas (slow) e rápida (fast)
4.4. Ruído de fundo
4.5. Nível equivalente (Leq)
4.6. Medição dos níveis de ruídos em ambientes internos e externos
V – Norma de Desempenho NBR-15.575/2013
5.1. Exigências normativas de desempenho acústico em edifícios residenciais.
5.2. Ensaio de campo para verificar o atendimento à norma.
5.3. Introdução aos métodos de cálculo Serie ISO 15712 (EM 12354)
5.4. Visita a técnica guiada show room.
5.5. 5 exercícios
VI – Avaliação
6.0. 03 CASOS
6.1. Exercício prático de cálculo de isolamento acústico em atendimento à Norma de Desempenho.
6.2. Bibliografia e NBR 15575 NBR 10152
6.3. Referência de sofware
6.4. Visita técnica guiada


Certificado:
O aluno que obtiver frequência igual ou superior a 75% receberá o CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO emitido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil.

Vagas:
30 (trinta).

Valores das inscrições, datas e horários:
Estudante associado em dia com o IAB-CE R$ 460,00
Profissional associado em dia com o IAB-CE R$ 580,00
Estudante não sócio R$ 580,00
Profissional não sócio R$ 730,00

Para inscrições até dia 10/04 O IAB-CE concede 10% de desconto nos valores:
Estudante associado em dia com o IAB-CE R$ 414,00
Profissional associado em dia com o IAB-CE R$ 522,00
Estudante não sócio R$ 522,00
Profissional não sócio R$ 657,00

Notas:
(1) Sócios em dias com a ENTIDADE PROMOTORA ganham bônus de desconto de cerca de 20% no valor normal das inscrições;
(2) Sócios em dias devem comprovar essa condição, enviando comprovante de sócio em dia para iabce@iabce.org.br;
(3) Estudantes não associados à ENTIDADE PROMOTORA regularmente matriculados em faculdades de arquitetura também têm direito a pagar inscrição com valor reduzido, conforme tabela, mediante apresentação de carteira de estudante ou declaração de está cursando o referido curso.
Informações gerais:
DAS INSCRIÇÕES
1. As inscrições poderão ser realizadas por este link ou pelos telefones 085- 3224.4860, 99922.8507;
2. A inscrição somente será efetivada após o pagamento da taxa de inscrição;
3. Na hipótese de a data de vencimento do boleto de pagamento ser gerada para uma data posterior à realização do curso, favor desconsiderá-la e apresentar o boleto PAGO na recepção do curso, quando da sua realização.
4. Realizada a inscrição, a garantia da vaga no curso está vinculada a:
a) comprovação do pagamento (que deve ser realizado após a realização da inscrição através do link http://iabce.org.br/?view=topic&page=1707);
b) envio do comprovante do “status” do inscrito (se sócio em dia) para o email iabce@iabce.org.br;
c) ressaltamos que o vencimento máximo do boleto deverá ocorrer até 48h (úteis) antes da data de início do curso. Após esse prazo, outra forma de pagamento poderá ser adotada através de contato com o IAB-CE pelos telefones 85-99922.8507 ou 3224.4860, em horário comercial.
d) salientamos que a garantia da vaga estará vinculada à data de quitação do boleto, e não à data de inscrição;
DAS INSCRIÇÕES DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO:
5. A inscrição a título de “estudante”, com valor reduzido, só poderá ser feita por pessoa física estudante de graduação e, nível superior;
6. Estudantes (nível graduação) devidamente matriculados devem apresentar comprovante de matrícula para que possam se beneficiar do valor reduzido até o primeiro dia do curso;
7. A não apresentação incorrerá em anulação do desconto, estando a sua participação sujeita ao pagamento, no ato, da diferença do valor.
DA CONFIRMAÇÃO DA INSCRIÇÃO
8. Após identificado o pagamento pelo sistema, a entidade organizadora encaminhará e-mail de confirmação da inscrição em até 48 horas anteriores ao início do curso quando será confirmado o local de realização do treinamento, horários e demais informações necessárias;
9. Em caso de não recebimento da confirmação, o interessado deverá entrar em contato com o IAB-CE pelos telefones 85-99922.8507 ou 3224.4860, em horário comercial;
DA SUBSTITUIÇÃO DO INSCRITO
10. A substituição do participante inscrito é permitida em até 24 horas (dias úteis) anteriores à data do curso, mediante comunicação formal para o e-mail iabce@iabce.org.br;
DO CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO:
11. As inscrições poderão ser canceladas pelo participante em até 48h do início do curso. Neste caso, os valores serão devolvidos na mesma quantidade de parcelas e valores pagos, com dedução de 10% para cobertura de custos;

12. Cancelamentos após 48h (úteis) anteriores ao início do curso ou motivadas pelo não comparecimento no curso, não darão direito à devolução do valor pago.
DA GERAÇÃO DE CRÉDITO NO CASO DA NÃO PARTICIPAÇÃO INFORMADA COM ANTECEDÊNCIA DE 48 HORAS:
13. O crédito resultante do não comparecimento ao curso e comunicação prévia de 48 horas anterior ao início do mesmo, deverá ser utilizado em até 360 dias corridos a contar da data de início do curso não realizado;
14. Em caso de transferência do crédito para outro participante do curso, o prazo máximo também é de 360 dias corridos a contar da data de início do curso do qual ocorreu a desistência;
DA HIPÓTESE DE CANCELAMENTO DO CURSO PELA ORGANIZAÇÃO
15. A ENTIDADE PROMOTORA se reserva ao direito de não oferecer o curso, caso não atinja o quórum mínimo estipulado na oferta de vagas. Nesse caso, a comunicação será realizada com até 48h de antecedência da data de início do curso;
16. Também em até 48h, o crédito dos valores pagos poderão ser transferidos para outro curso, por escolha do participante, ou devolvidos com dedução de 10% para cobertura de custos e na mesma forma de pagamento utilizada. Para tanto, deverá ser enviada solicitação formal e informações bancárias para crédito dos valores a serem devolvidos. Não serão realizadas devoluções em contas de terceiros, somente em nome do cedente ao pagamento realizado;
DA REALIZAÇÃO DO CURSO
17. Metodologia: durante o curso serão utilizados diversos recursos para a melhor assimilação dos conhecimentos, tais como:
-Exposição de conteúdos com utilização de recursos audiovisuais;
-Apresentação de exemplos;
-Estudos de caso;
-Exercícios;
-Para garantia de um melhor aprendizado, recomenda-se que cada participante leve seu computador pessoal ou smartphone (se possível) para realizar pesquisas e exercícios pela internet.
18. O curso fornecerá material didático (apostila impressa), lanche, acomodações específicas para treinamento e certificado de participação;
19. O tempo do curso é calculado considerando a hora-aula de 50 minutos, conforme o Parecer CNE/CP nº 2/2009;
Leia Mais ►

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Nota de Falecimento: sr. Antônio Furtado Ribeiro, pai da ,ex-presidente do IAB-CE, Agueda Frota


O Instituto de Arquitetos do Brasil  informa e lamenta  que hoje (03.04) ocorreu o falecimento do senhor  Antônio Furtado Ribeiro, pai  da ex-presidente do IAB-CE, Agueda Maria Frota Ribeiro. O velório ocorre  a partir de 10 horas na Funerária Ternura  (Rua Padre Valdevino, 2255 - Aldeota, Fortaleza - CE), e as 15:30, haverá  a missa de corpo presente  no mesmo local. O sepultamento ocorre,às 17 horas no Parque da Paz.  

A Diretoria e os Conselheiros do IAB-CE expressam os mais sinceros pêsames , e transmitimos todos os sentimentos de solidariedade para com Agueda e  seus familiares.
Leia Mais ►

quarta-feira, 29 de março de 2017

IAB-CE promove Curso de Acústica Arquitetônica Básica em Abril. Inscrições Abertas




O IAB-CE promove curso de Acústica Básica, ministrado pelo Arquiteto e Urbanista Daniel Leite Sampaio. O curso acontecerá nos dias 27, 28 e 29 de abril, no auditório do IAB-CE.

Confira a programação do curso:
I – Som e ruído
1.1. Conceito
1.2. Ondas sonoras
1.3. Velocidade de propagação do som
1.4. Fenômenos do som
1.5. Comportamento do som no ambiente construído
1.6. Efeitos do ruído sobre o homem
1.7. Ruído aéreo e ruído de impacto
1.8. Verificação de níveis de ruídos
1.9. Atenuação do som devido a distancia
1.10. Decibel
1.11. Isolamento acústico
1.12. Absorção acústica

II – Tratamento Acústico
2.1. Condicionamento acústico
2.2. Tempo de reverberação
2.3. Tempo ótimo de reverberação
2.4. Geometria dos ambientes
III – Isolamento acústico
3.1. Materiais e sistemas isolantes acústicos
3.2. A lei da massa
3.3. Isolamento acústico x comprimento de onda
3.4. O efeito Massa / Mola / Massa
3.5. Esquadrias acústicas
3.6. Barreiras acústicas
3.7. Atenuadores de ruídos
3.8. Cálculo de isolamento acústico.
IV – Verificação de níveis de pressão sonora.
4.1. Equipamentos de medição sonora.
4.2. Curvas de compensação A e C.
4.3. Respostas lentas (slow) e rápida (fast)
4.4. Ruído de fundo
4.5. Nível equivalente (Leq)
4.6. Medição dos níveis de ruídos em ambientes internos e externos
V – Norma de Desempenho NBR-15.575/2013
5.1. Exigências normativas de desempenho acústico em edifícios residenciais.
5.2. Ensaio de campo para verificar o atendimento à norma.
5.3. Introdução aos métodos de cálculo Serie ISO 15712 (EM 12354)
5.4. Visita a técnica guiada show room.
5.5. 5 exercícios
VI – Avaliação
6.0. 03 CASOS
6.1. Exercício prático de cálculo de isolamento acústico em atendimento à Norma de Desempenho.
6.2. Bibliografia e NBR 15575 NBR 10152
6.3. Referência de sofware
6.4. Visita técnica guiada


Certificado:
O aluno que obtiver frequência igual ou superior a 75% receberá o CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO emitido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil.

Vagas:
30 (trinta).

Valores das inscrições, datas e horários:
Estudante associado em dia com o IAB-CE R$ 460,00
Profissional associado em dia com o IAB-CE R$ 580,00
Estudante não sócio R$ 580,00
Profissional não sócio R$ 730,00

Para inscrições até dia 10/04 O IAB-CE concede 10% de desconto nos valores:
Estudante associado em dia com o IAB-CE R$ 414,00
Profissional associado em dia com o IAB-CE R$ 522,00
Estudante não sócio R$ 522,00
Profissional não sócio R$ 657,00

Notas:
(1) Sócios em dias com a ENTIDADE PROMOTORA ganham bônus de desconto de cerca de 20% no valor normal das inscrições;
(2) Sócios em dias devem comprovar essa condição, enviando comprovante de sócio em dia para iabce@iabce.org.br;
(3) Estudantes não associados à ENTIDADE PROMOTORA regularmente matriculados em faculdades de arquitetura também têm direito a pagar inscrição com valor reduzido, conforme tabela, mediante apresentação de carteira de estudante ou declaração de está cursando o referido curso.
Informações gerais:
DAS INSCRIÇÕES
1. As inscrições poderão ser realizadas por este link ou pelos telefones 085- 3224.4860, 99922.8507;
2. A inscrição somente será efetivada após o pagamento da taxa de inscrição;
3. Na hipótese de a data de vencimento do boleto de pagamento ser gerada para uma data posterior à realização do curso, favor desconsiderá-la e apresentar o boleto PAGO na recepção do curso, quando da sua realização.
4. Realizada a inscrição, a garantia da vaga no curso está vinculada a:
a) comprovação do pagamento (que deve ser realizado após a realização da inscrição através do link http://iabce.org.br/?view=topic&page=1707);
b) envio do comprovante do “status” do inscrito (se sócio em dia) para o email iabce@iabce.org.br;
c) ressaltamos que o vencimento máximo do boleto deverá ocorrer até 48h (úteis) antes da data de início do curso. Após esse prazo, outra forma de pagamento poderá ser adotada através de contato com o IAB-CE pelos telefones 85-99922.8507 ou 3224.4860, em horário comercial.
d) salientamos que a garantia da vaga estará vinculada à data de quitação do boleto, e não à data de inscrição;
DAS INSCRIÇÕES DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO:
5. A inscrição a título de “estudante”, com valor reduzido, só poderá ser feita por pessoa física estudante de graduação e, nível superior;
6. Estudantes (nível graduação) devidamente matriculados devem apresentar comprovante de matrícula para que possam se beneficiar do valor reduzido até o primeiro dia do curso;
7. A não apresentação incorrerá em anulação do desconto, estando a sua participação sujeita ao pagamento, no ato, da diferença do valor.
DA CONFIRMAÇÃO DA INSCRIÇÃO
8. Após identificado o pagamento pelo sistema, a entidade organizadora encaminhará e-mail de confirmação da inscrição em até 48 horas anteriores ao início do curso quando será confirmado o local de realização do treinamento, horários e demais informações necessárias;
9. Em caso de não recebimento da confirmação, o interessado deverá entrar em contato com o IAB-CE pelos telefones 85-99922.8507 ou 3224.4860, em horário comercial;
DA SUBSTITUIÇÃO DO INSCRITO
10. A substituição do participante inscrito é permitida em até 24 horas (dias úteis) anteriores à data do curso, mediante comunicação formal para o e-mail iabce@iabce.org.br;
DO CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO:
11. As inscrições poderão ser canceladas pelo participante em até 48h do início do curso. Neste caso, os valores serão devolvidos na mesma quantidade de parcelas e valores pagos, com dedução de 10% para cobertura de custos;

12. Cancelamentos após 48h (úteis) anteriores ao início do curso ou motivadas pelo não comparecimento no curso, não darão direito à devolução do valor pago.
DA GERAÇÃO DE CRÉDITO NO CASO DA NÃO PARTICIPAÇÃO INFORMADA COM ANTECEDENCIA DE 48 HORAS:
13. O crédito resultante do não comparecimento ao curso e comunicação prévia de 48 horas anterior ao início do mesmo, deverá ser utilizado em até 360 dias corridos a contar da data de início do curso não realizado;
14. Em caso de transferência do crédito para outro participante do curso, o prazo máximo também é de 360 dias corridos a contar da data de início do curso do qual ocorreu a desistência;
DA HIPÓTESE DE CANCELAMENTO DO CURSO PELA ORGANIZAÇÃO
15. A ENTIDADE PROMOTORA se reserva ao direito de não oferecer o curso, caso não atinja o quórum mínimo estipulado na oferta de vagas. Nesse caso, a comunicação será realizada com até 48h de antecedência da data de início do curso;
16. Também em até 48h, o crédito dos valores pagos poderão ser transferidos para outro curso, por escolha do participante, ou devolvidos com dedução de 10% para cobertura de custos e na mesma forma de pagamento utilizada. Para tanto, deverá ser enviada solicitação formal e informações bancárias para crédito dos valores a serem devolvidos. Não serão realizadas devoluções em contas de terceiros, somente em nome do cedente ao pagamento realizado;
DA REALIZAÇÃO DO CURSO
17. Metodologia: durante o curso serão utilizados diversos recursos para a melhor assimilação dos conhecimentos, tais como:
-Exposição de conteúdos com utilização de recursos audiovisuais;
-Apresentação de exemplos;
-Estudos de caso;
-Exercícios;
-Para garantia de um melhor aprendizado, recomenda-se que cada participante leve seu computador pessoal ou smartphone (se possível) para realizar pesquisas e exercícios pela internet.
18. O curso fornecerá material didático (apostila impressa), lanche, acomodações específicas para treinamento e certificado de participação;
19. O tempo do curso é calculado considerando a hora-aula de 50 minutos, conforme o Parecer CNE/CP nº 2/2009;
Leia Mais ►

terça-feira, 28 de março de 2017

Homenagem à mulher





“Onde se abrigam os animais domésticos? Gosta de árvores, frutas? Sabe fazer panelas de barro? Colcha de retalhos, chapéu de palha, rendas? Onde come? Tem flor, pássaros, vasos nas casas?”. Nas perguntas do roteiro de pesquisa de campo elaborado por Lina Bo Bardi, em 1975, para o projeto da Comunidade Cooperativa de Camurupim, em Propriá, Sergipe, ganham luzes os processos mais lentos da vida, as tessituras das coisas do cotidiano, os modos das pessoas organizarem o espaço doméstico, de conceberem os utensílios da vida. “Este carinhoso amor pelos objetos de todos os dias (...) é uma necessidade vital que se acha nos primórdios da vida humana", lembra a arquiteta.

Nessa abordagem de Lina, tão profunda, cuidadosa, feminina, ressurge a aldeã dos tempos primevos, como a concebeu Lewis Mumford, no clássico "A Cidade na História" : era a mulher que manejava o bastão de cavar, cuidava dos jardins, descobriu as espécies comestíveis. Foi a mulher que fabricou os primeiros recipientes – cestos, jarros, tinas, potes, depósitos.  E celeiros. E casas. "Segurança, receptividade, proteção e nutrição –  tais funções pertencem à mulher (...) A casa e a aldeia, e com o tempo a própria cidade, são obras da mulher".

No mês em que se celebra o dia da mulher, evidenciando conquistas e tantos desafios a enfrentar,  as palavras do grande sociólogo americano e, de forma muito especial, da arquiteta Lina Bo Bardi – neste ano  que marca os setenta anos em que deixou a Itália e chegou ao Brasil, seu novo torrão querido – nos lembram as grandes responsabilidades do nosso belo ofício de arquitetar, em um mundo que solapa os valores mais fundamentais da vida, que nós, mulheres,  tão bem conhecemos.



Arquiteta Solange Schramm
Conselheira Fiscal do IAB-CE 2017-2019
Leia Mais ►

terça-feira, 14 de março de 2017

Arquitetura e Urbanismo em Debate acontece dia 29/03 com o tema de Segurança e Prevenção de Incêndios

Dia 29/03/2017, Arquitetura e Urbanismo em Debate sobre Segurança e Prevenção de Incêndios com o Cel. Sergio Gomes do Corpo de Bombeiros, as 19h no Museu da Indústria. Rua Dr. João Moreira,143- Centro

Lembrando que o evento é gratuito e não precisa de inscrição prévia






Leia Mais ►

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Curso DA FACULDADE AO MERCADO DE TRABALHO Guia da Profissão de Arquiteto e Urbanista acontece de 2 a 4 de março



Curso:

DA FACULDADE AO MERCADO DE TRABALHO
Guia da Profissão de Arquiteto e Urbanista

Se inscreva aqui.

-Quanto cobrar pelos projetos e serviços; -Propostas e contratos; -Administração e marketing; -Licitações; -Coordenação de equipes; -Aprovação de projetos; -Execução de obras; -Incorporação imobiliária; -E outras informações que normalmente só são assimiladas após décadas de tentativa e erro.  

Promoção: IAB-CE

Realização: Métrica Treinamentos

Público-alvo:
Arquitetos e urbanistas;
Estudantes de arquitetura e urbanismo.

Objetivo:
Capacitar e reciclar arquitetos e urbanistas na gestão técnica, administrativa e financeira de seus escritórios;
Atualizar arquitetos e urbanistas acerca de informações relevantes advindas da criação do CAU- Conselho de Arquitetura e Urbanismo, bem como das alterações tributárias, lei do supersimples, licitações e novos mercados de trabalho;
Preparar estudantes de arquitetura e urbanismo para o ingresso na carreira;
Fornecer e ensinar a utilizar manual de consulta para o exercício da profissão abordando seus principais aspectos;
Contribuir para o aprimoramento do exercício da profissão, melhoria da qualidade dos projetos e serviços e dos resultados dos escritórios de arquitetura e urbanismo.

Carga horária: 20 (vinte) horas-aula, considerando a hora-aula de 50 minutos, conforme o Parecer CNE/CP nº 2/2009.

Programação do curso:

Parte I: Informações preliminares           sobre a profissão de arquiteto e urbanista
Quantos são, onde vivem, quanto ganham e outras informações sobre os arquitetos.

Parte II: Por onde começar o exercício da profissão?         
Formação, registros, direitos, deveres, código de ética.

Parte III: Quais as principais áreas de atuação profissional?
Projetos, execução de obras, gestão, meio ambiente, planejamento urbano, avaliações, perícias, ensino, pesquisa e outras.

Parte IV: Quais as formas de atuação e organização profissional?
Estágio, salário mínimo profissional, arquiteto autônomo, sócio de empresa de arquitetura e outros.

Parte V: Como conseguir trabalho?
Noções de marketing, mercado de trabalho, licitações, concursos de projeto.

Parte VI: Propostas e contratos;
Quanto cobrar, o que entregar, direitos autorais, obrigações, prazos, aspectos legais.

Parte VII: Projetos: elaboração e coordenação;
Etapas de projeto, controle de prazos, coordenação de equipes multidisciplinares, aprovação de projetos.

Parte VIII: Do escritório para a obra;
Elaboração de orçamentos, cronogramas, etapas de obra, controles, aferição de resultados, incorporação imobiliária.

Palestrante:
Odilo Almeida Filho
-Arquiteto e urbanista formado pela Universidade Federal do Ceará;
-Proprietário do escritório Odilo Almeida- Arquitetura e Urbanismo, fundado em 1994, atuando nas áreas de projeto, construção e incorporação;
-Coordenador e relator nacional das Tabelas de Honorários do CAU/BR;
-Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará- CAU/CE;
-Coordenador Nacional da Comissão de Exercício Profissional do Instituto de Arquitetos do Brasil- IAB;
-Vice-presidente nacional do IAB para a região Nordeste (2011 a 2013) e presidente do IAB do estado do Ceará (2010 a 2013);
-Especialização em Planejamento e Gestão Ambiental e Estudos de Viabilidade de Negócios Imobiliários;
-Trabalhou na Petrobrás e Banco do Brasil nas décadas de 1980 e 1990, integrando equipes de projeto e execução de grandes obras.
-Técnico em edificações formado pela Escola Técnica Federal do Ceará.

Certificado:
O aluno que obtiver frequência igual ou superior a 75% receberá o CERTIFICADO DE PARTICIPAÇÃO emitido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil.

Vagas: 30 (trinta).

Inscrições:
De 12 de dezembro de 2016 (segunda-feira) a 18 de fevereiro de 2017 (sábado) (ou até ser atingido o número máximo de vagas).
As inscrições deverão ser realizadas pelo site http://www.iabce.com.br/cursos.php ou pelos telefones 085- 3283.5454, 98897.3480, em horário comercial. Após 18.02.2017 as inscrições poderão ser realizadas apenas pelos telefones.

Data / Horário de realização do curso:
Dias 02 e 03/03/2017 (quinta e sexta), de 17:00h às 21:25h (intervalo de 15min);
Dia 04/03/2017 (sábado), de 08:40h às 12:00h e 13:00h às 18:00h.

Valor do Investimento (Parcelado em até 12 vezes no cartão c/ acréscimos via PagSeguro)

-Investimento inscrição individual (desconto de 10% até 06/02/2017):
-Estudante associado em dia com o IAB-CE(1):
Até 06/02/2017: R$ 414,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 460,00;
-Profissional Associado em dia com o IAB-CE(1):
Até 06/02/2017: R$ 522,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 580,00;
-Estudante não sócio (2):
Até 06/02/2017: R$ 522,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 580,00;
-Profissional não sócio:
Até 06/02/2017: R$ 657,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 730,00.

-Investimento para grupo a partir de 03 inscrições (desconto de 18% até 06/02/2017):
-Estudantes associados em dia com o IAB-CE(1):
Até 06/02/2017: R$ 377,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 460,00;
-Profissionais Associados em dia com o IAB-CE(1):
Até 06/02/2017: R$ 475,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 580,00;
-Estudantes não sócios (2):
Até 06/02/2017: R$ 475,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 580,00;
-Profissionais não sócios:
Até 06/02/2017: R$ 598,00; -A partir de 07/02/2017: R$ 730,00.

Notas:
(1) Enviar comprovante de sócio em dia com o IAB para iabce@iabce.org.br;
(2) Apresentar comprovante de matrícula atualizado para iabce@iabce.org.br;

Forma de Pagamento:
-Via internet: PagSeguro com cartão de crédito em até 12 parcelas (com acréscimos);
-No IAB-CE:

a)     Crédito em parcela única na conta abaixo:

BNB: 004;
Agência: 0152-2;
Conta: 22.390-8
CNPJ: 05.823.596/0001-43

b)     Pagamento em dinheiro ou cheque na sede da entidade;

-Após realizar a inscrição e efetuar pagamento enviar o comprovante de crédito e o comprovante quanto ao status do inscrito, se sócio em dia com o IAB.

Local das Aulas:
Sede do Instituto de Arquitetos do Brasil- IAB-CE. Av. Carapinima 2425, Benfica. Fortaleza-CE.
Estacionamento grátis na clínica ao lado.

Informações gerais:

DAS INSCRIÇÕES

1. As inscrições poderão ser realizadas pelo site http://www.iabce.com.br/cursos.php ou pelos telefones 085- 3283.5454, 98897.3480;

2. A inscrição somente será efetivada após o pagamento da taxa de inscrição;

3. Na hipótese de a data de vencimento do boleto de pagamento ser gerada para uma data posterior à realização do curso, favor desconsiderá-la e apresentar o boleto PAGO na recepção do curso, quando da sua realização.

4. Realizada a inscrição, a garantia da vaga no curso está vinculada a:

a) comprovação do pagamento através da quitação do boleto bancário (emitido após a realização da inscrição através do site http://www.iabce.com.br/cursos.php);
b) envio do comprovante do “status” do inscrito (se sócio em dia) para o email iabce@iabce.org.br (com cópia para metrica@metricaarquitetura.com.br);
c) ressaltamos que o vencimento máximo do boleto deverá ocorrer até 48h (úteis) antes da data de início do curso. Após esse prazo, outra forma de pagamento poderá ser adotada através de contato com o IAB-CE pelos telefones 85-98897.3480 ou 3283.5454, em horário comercial.
d) salientamos que a garantia da vaga estará vinculada à data de quitação do boleto, e não à data de inscrição;

DAS INSCRIÇÕES DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO:

5. A inscrição a título de “estudante”, com valor reduzido, só poderá ser feita por pessoa física estudante de graduação e, nível superior;

6. Estudantes (nível graduação) devidamente matriculados devem apresentar comprovante de matrícula para que possam se beneficiar do valor reduzido até o primeiro dia do curso;

7. A não apresentação incorrerá em anulação do desconto, estando a sua participação sujeita ao pagamento, no ato, da diferença do valor.

DA CONFIRMAÇÃO DA INSCRIÇÃO

8. Após identificado o pagamento pelo sistema, a entidade organizadora encaminhará e-mail de confirmação da inscrição em até 48 horas anteriores ao início do curso quando será confirmado o local de realização do treinamento, horários e demais informações necessárias;

9. Em caso de não recebimento da confirmação, o interessado deverá entrar em contato com o IAB-CE pelos telefones 85-98897.3480 ou 3283.5454, em horário comercial;

DA SUBSTITUIÇÃO DO INSCRITO

10. A substituição do participante inscrito é permitida em até 24 horas (dias úteis) anteriores à data do curso, mediante comunicação formal para o e-mail iabce@iabce.org.br (com cópia para metrica@metricaarquitetura.com.br);

DO CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO:

11. As inscrições poderão ser canceladas pelo participante em até 48h do início do curso. Neste caso, os valores serão devolvidos na mesma quantidade de parcelas e valores pagos, com dedução de 10% para cobertura de custos;

12. Cancelamentos após 48h (úteis) anteriores ao início do curso ou motivadas pelo não comparecimento no curso, não darão direito à devolução do valor pago.

DA GERAÇÃO DE CRÉDITO NO CASO DA NÃO PARTICIPAÇÃO INFORMADA COM ANTECEDENCIA DE 48 HORAS:

13. O crédito resultante do não comparecimento ao curso e comunicação prévia de 48 horas anterior ao início do mesmo, deverá ser utilizado em até 360 dias corridos a contar da data de início do curso não realizado;

14. Em caso de transferência do crédito para outro participante do curso, o prazo máximo também é de 360 dias corridos a contar da data de início do curso do qual ocorreu a desistência;

DA HIPÓTESE DE CANCELAMENTO DO CURSO PELA ORGANIZAÇÃO

15. O IAB-CE se reserva ao direito de não oferecer o curso, caso não atinja o quórum mínimo estipulado na oferta de vagas. Nesse caso, a comunicação será realizada com até 48h de antecedência da data de início do curso;

16. Também em até 48h, o crédito dos valores pagos poderão ser transferidos para outro curso, por escolha do participante, ou devolvidos com dedução de 10% para cobertura de custos e na mesma forma de pagamento utilizada. Para tanto, deverá ser enviada solicitação formal e informações bancárias  para crédito dos valores a serem devolvidos. Não serão realizadas devoluções em contas de terceiros, somente em nome do cedente ao pagamento realizado;

DA REALIZAÇÃO DO CURSO

17. Metodologia: durante o curso serão utilizados diversos recursos para a melhor assimilação dos conhecimentos, tais como: -Exposição de conteúdos com utilização de recursos audiovisuais; -Apresentação de exemplos; -Estudos de caso; -Exercícios; - Para garantia de um melhor aprendizado, recomenda-se que cada participante leve seu computador pessoal ou smartfone (se possível) para realizar pesquisas e exercícios pela internet.

18. O curso fornecerá material didático (apostila impressa), lanche, acomodações específicas para treinamento e certificado de participação;

19. O tempo do curso é calculado considerando a hora-aula de 50 minutos, conforme o Parecer CNE/CP nº 2/2009;



Instituto de Arquitetos do Brasil- Departamento do Ceará- IAB- CE
Leia Mais ►